29 de novembro de 2016

Tipos de vizinhos

Pornô – Sabe quando você começa a ouvir uns baraulhos esquisitos e pensa “não, não é possível…”? E um “ahn ahn ahn isso isso isso assim assim assim” te confirma que, sim, é possível? Então, esse barulho todo vem lá da casa do vizinho pornográfico. Ele tem o poder de te acordar na madrugada fazendo você pensar que está num motel. É capaz de você correr pro relógio pra ver se ainda dá tempo de dar umazinha antes de ter que liberar o quarto. E os gritos são sempre altos, parece que ele colocou o Sextime no máximo. Um cara desse deve ter chorado quando a Emanuelle morreu.

Amigo de porteiro – Sempre tem um vizinho que vive mais na portaria que no próprio apartamento. Você sai pra trabalhar e ele está lá falando de futebol com o porteiro. Você volta pra casa à noite e ele está lá falando de futebol com o vigia. A roupa é clássica: bermudão, chinelo e regata. No melhor estilo Leleco. O mais curioso é esse vizinho entender o que os porteiros falam.

Vândalo – Comunicado importante dentro do elevador é um clássico. Mas tão tradicional quanto ele, só mesmo aquele vizinho que sempre deixa um recadinho à caneta ali. Tem semana que é um elogio à síndica: “síndica piranha”. Tem semana que é apenas o óbvio: “condomínio caro! Cadê o dinheiro?”. Isso quando ele não desenha caralhinhos voadores no comunicado. Esse tipo de vizinho não perdoa nem aviso de falecimento de alguém do prédio: “podia ter sido a síndica…”.

Gostosa – Fala sério, ninguém mais acredita naquela história de “vim pedir uma xícara de açúcar”, né? A verdade é que esse tipo de vizinha é meio lenda. Ela sempre aparece na história do amigo do amigo que foi pego comendo a mulher no play pelo porteiro. Ou você vai dizer que já aconteceu com você?

Barulhento – Quem dera todo barulho do prédio viesse das crianças brincando no play. Mas não. Isso porque existe o vizinho barulhento. Aquele vizinho que quer mostrar pra você todo o seu vasto gosto musical. Aliás, “gosto”. Porque são músicas que vão de Roberto Carlos a Jorge Vercillo e Netinho. E, claro, sempre naquela hora que você mais precisa de silêncio, como quinta à noite ou num domingo de manhã.

Misterioso – Sabe aquele vizinho que nunca dá as caras? Ou então aquele vizinho que some durante semanas e você nunca mais cruza no elevador? Pois é, provavelmente é o mesmo vizinho que “coleciona” 27 gatos no apartamento. É melhor você esperar e subir no próximo elevador. Vai por mim. Ou corre o risco de um belo dia você acordar numa banheira cheia de gelo com um bilhete de que você está sem um rim.

Síndico – Na boa, quem na vida acha maneiro ser síndico? Quando a pessoa para e pensa “taí, vou ser síndico!”. Isso não existe, né? E essa é a melhor explicação pra esse tipo de vizinho ser sempre mal humorado. Basta você entrar com roupa de praia pela porta principal que vai ver o seu nome como tema na ata do livro de condomínio. Mas faz sentido tanto mal humor. Afinal, se você já acha uma merda participar de uma reunião de condomínio, imagina se tivesse que organizar uma?

Fofoqueiro – É o mais clássico. Aquela tia velha que sabe da vida de todo mundo. E não só sabe como te atualiza. Basta cruzar com ela uma vez na portaria pra você descobrir que o rapaz do 302 meteu um boneco na menina do 505. Mala demais. Esse tipo de vizinho só não consegue dizer o que o cara dos 27 gatos no apartamento faz da vida.